quinta-feira, 3 de maio de 2012

PROJETOS DE CASAS


Projetar uma casa é um dos trabalhos mais empolgantes, cada residência tem que ter a “cara do dono”, ser aquele lugar tão especial para quem vai morar nela; ser o lar, o aconchego, o descanso e também muitas vezes o local de trabalho.

Aqui tem alguns dos meus trabalhos residenciais.

Projeto e construção de uma residência uni familiar com 2 pavimentos utilizando tijolos ecológicos de solo-cimento.
Os tijolos ecológicos deram à construção a beleza do tijolo aparente, sem revestimento. Mas a maior vantagem foi o conforto ambiental, menos ruído e menos calor. O preço de custo também foi bem inferior ao da construção convencional.

 

Reforma de uma residência uni familiar no bairro de Padre Miguel - Rio de Janeiro - RJ.
A residência de um pavimento passou a ter 2 pavimentos. Para não tirar área da sala, a escada foi projetada para fora da casa na parte frontal.


 Projeto para construção de una residência em Itaipuçú – Rio de Janeiro – RJ
Uma casa para fins de semana e férias tem que fazer se sentir descansado a quem estar nela. Luz, ar fresco natural, espaço para andar, verde e céu aberto para ver as nuvens passarem e as estrelas de noite.



Reforma de uma residência uni familiar no bairro de Jacarepaguá - Rio de Janeiro.
A casa original era de um só pavimento, com sala e 2 quartos.
Com a reforma ficou com 2 salas e quatro quartos, sendo um em suíte.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

PISOS ANTIGOS


Pouco a pouco as construções antigas vão sendo substituídas por novas mais adequadas à vida dos moradores ou às necessidades do comércio ou serviço instalado nelas.
Assim tem ido se perdendo a nossa memória histórica, ficando apenas o remanescente nos museus.



Atualmente as Prefeituras tem secretarias especializadas na preservação do Patrimônio Histórico das cidades, e com várias iniciativas e boa legislação, boa parte dessa memória fica preservada também no âmbito da construção privada.
 
No intuito de guardar pelo menos alguma parte dessa memória, tenho andado de máquina fotográfica em mãos pelas cidades onde o trabalho, negócios ou lazer me levaram, para documentar os revestimentos usados nas construções antes da onda das novas tecnologias derivadas do petróleo.





Nesta primeira postagem sobre o assunto, vou mostrar um dos revestimentos de piso mais usados: o ladrilho hidráulico.


Sua ampla utilização se deve ao custo, já que era o revestimento mais em conta.
Era usado principalmente nos locais onde fosse necessário fazer a lavagem do piso com freqüência, para o qual a madeira não podia ser utilizada, ou nos locais de alto tráfego de pessoas como lojas, repartições públicas, etc.




 Nas construções geralmente não se faziam lajes, os andares superiores (e às vezes até o térreo), eram estruturas de madeira com assoalho de tábuas corridas também em madeira.
Já as cozinhas e banheiros tinham uma laje ou um contra piso caso estivessem instaladas no térreo, e a pavimentação era de ladrilhos hidráulicos, pastilhas, granito ou até cimentado queimado, de acordo com o poder aquisitivo do proprietário.


 
Hoje em dia os ladrilhos hidráulicos voltaram a ficar na moda. Existem várias industrias no Brasil que fabricam artesanalmente este revestimento com uma gama bem variada de desenhos.
Como o fabrico é artesanal é possível escolher o desenho e as cores a serem usadas. Várias empresas disponibilizam no seu site um simulador para escolha de modelos e cores.

ONDE COMPRAR LADRILHOS HIDRÁULICOS

Em Campo Formoso BA, já tem uma fábrica de ladrilhos hidraulicos;

LADRILHOS CRUILLI

Funciona na Vila Pernambucana. Telefone para encomendas: (71) 9197-8921


Empresas com simulador de modelos e cores no site:
 
No Rio de Janeiro:

http://www.ladrilhospetropolis.com.br (o melhor simulador que achei)

Em Minas Gerais:


em Rio Grande do Sul:


Em São Paulo:




Outras empresas:

Em São Paulo:





http://mosaicor.com.br

Postagem atualizada em 6 de dezembro de 2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

TERRENOS INCLINADOS, ENCOSTAS E OUTRAS PIRAMBEIRAS


Quem, alguma vez na vida, admirando uma bela paisagem desde o alto de uma encosta, não desejou morar lá?

Não se pode negar que as encostas tem sempre uma paisagem mais amena que um local plano, principalmente dentro de uma cidade densamente povoada.

Mas os terrenos inclinados trazem, junto com a beleza da paisagem, muitos inconvenientes, começando pelo bolso... é mais caro construir numa encosta do que num terreno plano.

Não quer dizer que se deva excluir totalmente a opção do terreno em encosta, mas tem que saber escolher o terreno.









No caso de terrenos em ruas sem calçamento, prestar atenção ao desnível da rua entre um e outro lado, já que na hora do calçamento será nivelada e ficará de cada lado um desnível para cima ou para baixo do meio fio.









Preferir, sempre que possível, terrenos em aclive a partir da rua. As águas pluviais que não sejam absorvidas pela terra, e os esgotos tem que desaguar na rua, e em descida o escoamento é feito naturalmente. Nos terrenos em declive desde a rua, será necessário bombear essas águas até o nível da rua, o que implica em reservatórios, bombas e energia elétrica.






Saber distinguir entre: “terreno inclinado” e “pirambeira brava”. O terreno não pode ter uma inclinação tão acentuada que não permita pelo menos fazer planos para assentamento da construção com o máximo de 3m de corte, sendo o ideal abaixo de 2,50m.

Ter em mente que em terrenos inclinados a construção nem sempre pode ficar num só nível, normalmente vai ter vários planos de assentamento, e... muitas escadas!


Já de terreno comprado, tem que prestar muita atenção ao projeto. A casa vai ter que se adaptar ao terreno seguindo as curvas de nível e não ao contrário. Fazer o mínimo de movimento de terra, tentando ter o mínimo de muros de arrimo.
No Rio de Janeiro, por exemplo, a legislação limita a 3,00m a altura dos cortes do terreno.

A parte externa também tem que ser cuidadosamente estudada. Como não somos coelhos para andar por planos inclinados com facilidade, o jeito é fazer escadas e rampas que acompanhem a encosta de maneira lenta para que o deslocamento pelo jardim seja um passeio e não uma prova de resistência.






























 

O ideal é utilizar as rampas nas partes retas e as escadas nas mudanças de direção.

Fazendo pequenos muros de contenção, pode-se criar pequenos platôs para jardineiras, hortas ou lazer.
 
 
Nos trechos com pouca inclinação, pode se fazer um jardim em 2 níveis.

antes


depois



Já onde a pendente for forte, o jeito e fazer pequenos terraços ligados por escadas.

 

A ribanceira dos coelhos virou horta em 3 níveis, e coelheira de alvenaria.

O terreno inclinado pode ser um grande aliado na irrigação. Canalizando as águas de lavagem, como por exemplo as da máquina de lavar roupa, pode se ter o jardim sempre úmido.


terça-feira, 5 de julho de 2011

CAPELA SÃO FREI GALVÃO – CAMPO FORMOSO – BAHIA

Projeto para a construção de uma capela no povoado de Várzea, no Município de Campo Formoso, Bahia.

Várzea é um povoado na região de caatinga do município de Campo Formoso.

O terreno destinado à capela era muito pequeno, mas não tinha vizinhos que impedissem a abertura de janelas, o que possibilitou a utilização de todo o terreno com a construção.


As janelas foram projetadas para ocupar a maior parte das paredes laterais possibilitando uma maior ventilação ao ambiente já que o clima na região é muito caluroso.



Na fachada revestida de pedra se destaca a cruz e o nome da capela. O campanário coroa a construção.

terça-feira, 21 de junho de 2011

PADARIA VENEZA – CAMPO FORMOSO – BAHIA

Projeto de reforma para instalação de uma delicatessen na cidade de Campo Formoso, Bahia. 


A delicatessen foi instalada onde antigamente funcionava a lanchonete Cristal. O local é formado por 3 construções em 2 níveis diferentes. Foi necessário elevar um dos ambientes para unificar o piso.


Como a construção é antiga, estruturada por paredes grossas, não foram demolidas todas as paredes internas, apenas foram abertos vãos de forma estratégica para dar amplitude ao ambiente.


A área de atendimento ganhou um forro de PVC branco, e as paredes pintadas em cor clara deram vida e claridade ao ambiente.




A antiga varanda foi remodelada nivelando o piso e colocando vasos com flores em volta.




Logo na entrada um visor de vidro translúcido permite ao cliente acompanhar o trabalho dos confeiteiros.
A frente totalmente aberta permite uma perfeita ventilação do ambiente interno e uma integração entre a parte de venda e a lanchonete.


Telefones da Padaria Veneza
em Campo Formoso:
(74) 3645-2169